Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita d'Alma

Escrevo como quem abre a sua alma e partilha o melhor do seu ser na companhia dos seres mais maravilhoso os meus animais , Maggie e Fluffy.

Escrita d'Alma

Escrevo como quem abre a sua alma e partilha o melhor do seu ser na companhia dos seres mais maravilhoso os meus animais , Maggie e Fluffy.

13 de Fevereiro, 2022

Partilha interior…Reconheço, deixo ir, aceito e amo-me

 

Partilha interior...reconheço, deixo ir, aceito e

 

 

Tal como as árvores que vão soltando as suas folhas velhas para renascer novas, eu vou largando camadas, folhas, sentimentos, apegos velhos que têm de ir. Deixo-os irem para onde tem de ir para que eu renasça um novo ser.

A cada folha que cai reconheço a sua essência e a sua pureza na minha evolução, reconheço como necessária sem lhe atribuir culpa, sem a julgar nem me vitimizar.

Reconheço todo o processo de deixar ir e de evolução como algo natural como o soltar das folhas das árvores.

Ao olhar para dentro de mim, reconheço que é na perfeita imperfeição do meu ser que reside a beleza do meu caminho e a minha evolução interior. Reconheço as minhas imperfeições, sei que não sou perfeita nem serei, mas, sei que amo a perfeita imperfeição que reside em mim e respeito-a.

Reconheço que cada peça do puzzle da minha vida ajudou-me a trilhar o meu caminho de luz até aqui.

Todos os dias descubro uma peça chave que me faz ver tudo com outros olhos e com gratidão e entender o porquê de tudo. Aprendo todos os dias que está tudo bem em não estar tudo bem, faz parte do meu processo de evolução e ajuda-me a desbravar o meu caminho.

Aprendo todos os dias e reconheço que eu sou o meu próprio colinho e o amor e o carinho que preciso nos momentos mais escuros em que implico com tudo e com nada, interiormente, e em que dentro da minha mente reclamo de tudo e de nada, sem motivos. São nesses dias em que me sinto, interiormente, possuída sem explicação que procuro o meu amor próprio, abraço-me e repito para mim mesma que está tudo certo eu sentir-me assim.

Aceito-me tal como sou,

respeito-me

e eu amo-me.

São nestes pequenos e grandes momentos de amor próprio que sorrio e volto a sorrir de gratidão a mim mesma e a vida.

 

Com gratidão,

Cátia Santos

Comentários

Comentar post